Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Tout Sommes Paris‬

por sacha hart, em 14.11.15

Vimos a ameaça crescer, crescer e crescer sem eficazmente fazermos algo para a parar. Uma ameaça que nascia no berço europeu. As consequência não param de nos atingir desde Janeiro, sobretudo atacando um dos corações da Europa, Paris. 

Um massacre perturbador para o qual não há palavras. Centenas de vidas inocentes perdidas, outras feridas e milhares traumatizadas. A Europa está de luto, o mundo está de luto. O que fazer a partir daqui?
“Seremos implacáveis neste combate.” Esta conclusão já vem tarde. As medidas imediatas não são soluções. Mandar a culpa aos milhares de refugiados e migrantes também não é, de todo, certo. Tudo isto culmina num momento em que a Europa está cheia de vitimas e não há um plano europeu coerente para travar estas situações. É um caos, é uma calamidade, é o terror.
O que fazer a partir daqui?, repito. A Ameaça está cá dentro, vive entre nós. A Ameaça é um de nós. Europeus. Até que ponto já é demasiado tarde para solucionar este terror constante a que estamos sujeitos?
E sim, tenho medo. Mas quero agir. Temos de agir.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 12:07


4 comentários

Imagem de perfil

De Bá ♥ a 14.11.2015 às 12:37

Concordo plenamente contigo, mas vai ser uma coisa que vai ser difícil de solucionar... Vamos solucionar como? Com mais violência? Lá diz o ditado, violência só atraí violência... Acho que o mundo cada vez mais vai viver uma onda de medo, já há mais 3 cidades na mira :/
Imagem de perfil

De sofiaguerreira a 14.11.2015 às 22:30

A Europa está de luto,isso é um facto!! Desejo que os franceses tenham toda a força e sorte do mundo e que estas tragédias passem depressa!! Beijinhos fofinhos e excelente domingo para ti!!
Imagem de perfil

De Blueberries a 15.11.2015 às 15:34

Somos duas. Infelizmente há pouco a fazer, há imensos terroristas entre nós.
Um beijinho.
Imagem de perfil

De Elena Gilmore a 19.11.2015 às 01:28

O medo é sempre difícil de combater.
E como tu dissestes medidas imediatas não são de todo as mais correctas, principalmente em situações tão frágeis e difíceis como estas.
Temos de nos unir e agir de forma mais clama possível e o mais rapidamente possível também.

Comentar post




Lisboeta de 19 anos a aventurar-se em Erasmus. Blogger, leitora e pseudo-escritora nos tempos livres. Entusiasta e sonhadora.


+ sobre mim

→ seguir perfil



Life Abroad



Mensagens

Design Portefolio


Facebook Page



feed