Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




The Fault In Our Stars

por sacha hart, em 30.06.14

Quero começar por dizer que não sou romântica nem muito sentimental, não sou daquelas raparigas que vê algo fofo e amoroso em tudo, porque não vejo. Nunca choro, e se o faço, é porque algo dentro de mim está a transbordar de sensações avassalantes, sem parar. Antes de lerem o que se segue, tinham de saber isto.

Porquê? Porque pela primeira vez em toda a minha vida senti não só a garganta presa e o corpo tenso, como também lágrimas quentes e salgadas na minha face. Não foi a primeira vez que chorei, mas sim a primeira vez que chorei a ler um livro. Adoro livros e quando os leio fico sempre com um rodopio avassalador de emoções, frequentemente sorrio enquanto leio mas nunca, em alguma vez, me senti à beira das lágrimas. Talvez tenha ficado com os olhos brilhantes uma vez ou outra, raramente. Até aparecer The Fault In Our Stars e desencadear algo que eu não estava à espera. Lágrimas.

Li o livro em inglês, na sua versão original. Nunca imaginei que me fosse abater da forma que fez. É mesmo um livro especial, com uma história especial e personagens especiais. Simplesmente amarrou um nó em volta do meu coração. The Fault In Our Stars é tremendamente inspirador. Não é tanto uma história de amor nem muito menos uma história para dar pena à volta do tema do cancro. Não. Para mim, The Fault In Our Stars é uma história de vida, de coragem e realidade. É uma história de sonhos, daqueles sonhos bonitos ainda que no limiar dos pesadelos. Um modo de ver o mundo de outra forma. Pelo menos é o que sinto. Depois de ler este livro, há coisas na vida que vou ver de maneira diferente.

Frequentemente, falei com pessoas que viram o filme e disseram que choraram. É normal – embora não para mim – que as pessoas chorem em filmes. Em livros, creio eu, é mais difícil isso acontecer, e nem toda a gente lê. Eu li e senti tudo à flor da pele. Menos de três horas depois estava na sala de cinema, a pensar se devia preparar os lenços. Tal como previ, só foram precisos no fim, tal como no livro. Só que, se pensam que chorei por causa do filme, estão equivocadas. Chorei a ver o filme apenas porque enquanto o via me recordava das palavras do livro, lembrava-me daquilo que senti ao ler e transbordou tudo novamente.

Relativamente ao livro, creio já ter dito o mais importante – escreveria muito mais, mas seria impossível descrever tudo e ser fiel. Leiam o livro – se possível em inglês – porque é maravilhoso. Quanto ao filme não achei que fosse uma genuína adaptação, todavia um filme muito bonito. Se não tivesse lido o livro e sabido todos os pormenores que faltavam ou estavam trocados, teria dito que era naturalmente um bom filme, com um elenco apropriado e uma história comovedora. Mas sabem que mais? Não teria chorado.

Mas li o livro primeiro. Amei o livro primeiro. Chorei primeiro. Como sempre, o filme ficou longe de ser tão inexplicável e perfeito como o livro. The Fault In Our Stars é um livro infinito

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:38


28 comentários

Imagem de perfil

De Ynis a 30.06.2014 às 19:56

conclusão: só eu adormeci a ver o filme ieeei.. G.G
Imagem de perfil

De Ana a 30.06.2014 às 19:56

Subscrevo as tuas palavras! Eu ri e chorei com o mesmo livro. Adorei!
Imagem de perfil

De Ynis a 30.06.2014 às 20:04

well, talvez houvesse uma atitude diferente da minha parte, se tivesse lido o livro, coisa que sinceramente foi algo que nunca tive grande interesse.
Imagem de perfil

De Ynis a 30.06.2014 às 20:08

ahahah, o facto de ter imenso alarido à sua volta é o que me faz desprezá-lo.. odeio livros assim, é por isso que a maioria das vezes, só meses depois é que pego no livro. xD'D
Imagem de perfil

De Ynis a 30.06.2014 às 20:16

sim, desprezar livros. espero que a poeira sobre eles assente e depois compro ou tiro-os da prateleira. toda a maneira, com os livros que tenho que ler desde o ano passado e com a preguiça que tenho, só lá para 2050 é que devo estar safa. ohohoh'
eu simplesmente não julgo. mas não suporto ler livros tão bem falados na altura. não sei porquê, faz-me confusão. talvez ainda me arrependa e chegue à conclusão de que não gosto, ou seja, deixei-me influenciar por tretas.
Imagem de perfil

De InêsGonzalez a 30.06.2014 às 20:20

obrigada <3 quando tens reservas ?
Imagem de perfil

De InêsGonzalez a 30.06.2014 às 21:07

podes me depois avisar??
Imagem de perfil

De • Smartie a 30.06.2014 às 21:26

O livro é absolutamente soberbo e acho que o filme está maravilhoso, sem dúvida alguma.
Imagem de perfil

De Yria Rivers a 30.06.2014 às 21:36

criminologia está a ganhar a pouco e pouco a psicologia, mas para isso preciso de ir para lisboa e está dificil de convencer a minha mãe
Imagem de perfil

De Yria Rivers a 30.06.2014 às 22:01

eu vivo em coimbra, tenho uma universidade mesmo aqui ao pé, é por isso que ela não me quer deixar ir para lisboa, mas acho que ela não percebe que para além de ter outros cursos também tem maior empregabilidade --'
ainda bem que gostaste^^

Comentar post


Pág. 1/3




Lisboeta de 20 anos a aventurar-se em Erasmus. Blogger, leitora e pseudo-escritora nos tempos livres. Entusiasta e sonhadora.


+ sobre mim

→ seguir perfil



Life Abroad



Mensagens

Design Portefolio


Facebook Page



feed