Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Desafios para 2018 // Livros

por sacha hart, em 11.01.18

Desafios para 2018 - Livros

Nada como um ano novo para encontrar renovada motivação e estabelecer objetivos. Tenho pensado em quais poderiam ser os meus e, no que diz respeito a leituras, decidi-me por algo simples: arriscar novos géneros literários. Defini uma meta de 30 livros, de entre os quais quero experimentar os seguintes géneros ou temas:

 

1. Literatura de viagem

O interesse para ler algo dentro desta categoria não é novo, mas nunca li algo que verdadeiramente se integrasse aqui. O ano passado li este post, no blog Mar de Maio, onde a Inês faz algumas sugestões de livros nesta temática, e devo dizer que desde então tenho na lista Sete Anos no Tibete de Heinrich Harrer (tanto o livro como o filme). Ao reler o seu post e relembrada pelas montras da Bertrand, introduzi também na lista de autores Gonçalo Cadillhe. A última recomendação que tive foi do meu flatmate italiano que sugeriu o seu compatriota, Tiziano Terzani com o livro Disse-me um Adivinho

 

2. Distopias Indispensáveis

Perdi a conta ao número de vezes que me recomendaram que mergulhasse nestas realidades alternativas que assustadoramente se aproximam em muitos aspetos da nossa. Já adquiri Animal's Farm de George Orwell (em português, A Quinta dos Animais), e seguir-se-á também 1984. Na lista incluí também Admirável Mundo Novo de Aldous Huxley, Fahrenheit 451 de Ray Bradbury Laranja Mecânica de Anthony Burgess. As minhas pesquisas mostram que existe um rol de autores neste género por ser descoberto caso venha a adorar este género. 

 

3. Holocausto

Não é um género, claro, mas uma temática. Já referi no blog que nunca tive a coragem de me lançar na leitura de algo que remonte a esta era macabra da nossa História, nem muitos foram os filmes que vi. No entanto, desde que visitei Auschwitz e alguns locais icónicos na Europa de Leste que não faz sentido dizer a mim mesma que não aguento lançar-me neste tema. Um murro no estômago será sempre, mas agora sei que o aguento. Na minha estante já tenho Shindler's List, de Thomas Keneally, e espero terminar de ver a sua adaptação cinematográfica. Na livraria de Auschwitz saltou-me à vista a trilogia de Primo Levi dedicada a este campo de concentração e os livros de Tadeusz Borowski, para começar. Na lista está também Entrevistas de Nuremberga de Leon Goldensohn com relatos das entrevistas a oficiais nazis durante os seus processos de julgamento. Já mais soft tenho também em standby a famosa obra de Markus ZusakA Rapariga que Roubava Livros.

 

4. Laureados com o Prémio Nobel da Literatura

Não seria uma estreia, já que li José Saramago Pearl S. Buck, ambos de quem espero ler mais. No entanto, a lista é longa no que toca a laureados e muitos são os livros que me têm sido recomendados. Em primeiríssimo lugar da lista está, sem dúvida, Cem anos de solidão de Gabriel García Márquez. Em segundo terei que dizer algumas obras de Svetlana Alexijevich que por várias vezes fiquei tentada a comprar, tais como Vozes de Chernobyl e Rapazes de Zinco. Uma última escolha para ler em 2018 será O Estrangeiro de Albert Camus.

 

Como podem ver a lista de livros não para de crescer, mas estou sempre aberta a sugestões. Seja de novos géneros ou de livros que se insiram nestas categorias, deixo-vos uma pergunta que é simultaneamente um apelo: que livro me desafiariam a ler em 2018?

Boas leituras!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:32

As leituras do meu Outono

por sacha hart, em 25.10.17

leituras de Outono

 

Nunca perco uma oportunidade de vir falar de livros aqui no blog. Desta vez será para vos mostrar quais as minhas escolhas para o Outono, esta estação que chama para uma chávena de chá e um livro na mão para nos aquecer nos dias mais frios! É apenas mais uma das minhas razões para adorar a estação!

Sabem o que me deixa ainda mais feliz em relação a esta seleção de livros que vos vou apresentar? Que sejam em segunda mão! Adoro livros usados, pensar na história que têm por detrás, saber que alguém se deliciou nas leituras tal como eu irei fazer. Um dos livros trouxe-o de Portugal depois no Verão o ter encontrado sem querer numa feira de velharias (dois euros apenas!) e o outro descobri-o em Budapeste num dos vários antiquários da cidade. Funny story: foi-me "oferecido", já que o vendedor não tinha troco para me dar e simplesmente disse-me que o trouxesse comigo!

Sem mais demoras, apresento-vos então as minhas escolhas:

 

The Book Thief 

Um livro de Markus Zusak que talvez conheçam pela sua adaptação cinematográfica. Há mais de um ano na minha estante, retrata uma história do Holocausto e essa é a única razão pela qual ainda não foi lido. Nunca li um livro sobre esta temática, raramente vejo um filme. Simplesmente porque me custa imenso imaginar e retratar a crueldade. No entanto chegou a altura. Vou pegar nele e não haverá volta atrás - ainda por cima coincide com a minha visita a Auschwitz este fim de semana. 

GOODREADS

 

Norwegian Wood

Se existe um autor que me estão sempre a recomendar é o Haruki Murakami. Está mais do que na hora para comprovar o porquê de tanta admiração por este autor e por essa razão trouxe-o comigo do antiquário húngaro. A história parece centrar-se em dois estudantes japoneses e um romance fascinante por detrás. Parece prometedor! 

GOODREADS

 

POST.png

post 1.png

POST 2.png

 Quais são as vossas escolhas para leituras de Outono?
Já leram algum destes dois livros? 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:32

Swear on This Life by Renee Carlino

Foi durante a minha roadtrip pela Eslovénia que decidi pegar em "Swear on This Life" da autora americana Renee Carlino já que tinha cinco horas de viagem para queimar. Não sabia absolutamente nada da sinopse ou outros livros da autora até então, por isso estava completamente às escuras ao começar a leitura, confiando apenas no facto de ter sido recomendado. Prefiro assim.


O livro começa com Emiline, uma escritora frustrada por nunca ter conseguido criar algo digno de ser publicado e cujos demónios ignorados do passado a impedem de descobrir o seu máximo potencial. Por outras palavras, Emi está num impasse, entregue ao trabalho e a uma relação de longa duração que não a satisfazem. Mas tudo muda quando “All the Roads Between”, um aclamado bestseller de J. Colby, lhe chega às mãos – porque o livro é a história da sua vida, uma narrativa do passado que ela tanto bloqueia das suas memórias.


“Swear on This Life” desenrola-se a partir desta premissa. Eu descrevê-lo-ia como um livro com um livro dentro já que o essencial da história se baseia nos capítulos de “All the Roads Between”. São um flashback permanente do passado de Emiline e estão presentes ao longo de todo o livro. Por norma não gosto deste tipo de leitura, mas neste caso foi uma benção. O que me fez ansiar por cada novo capitulo foi descobrir o que se passara de tão trágico na vida dela e do seu amigo de infância, Jax, e ao mesmo tempo as emoções que a leitura despertavam em Emiline por ter a sua vida exposta num bestseller de Jason que desparecera da sua vida há 12 anos.


Parece um confusão, mas prendeu-me à leitura. O mais importante para mim enquanto leitora é sentir-me presa à narrativa, ansiar por cada nova página e não querer pousar o livro, em circunstancia alguma.


Gostei bastante do que li, mas tenho mixed feelings em relação a “Swear on This Life” porque se por um lado me proporcionou esta sensação entusiasmante, por outro falhou completamente no potencial que prometia no inicio da história. Com isto quero dizer que adorei os flashbacks mas a ação do presente foi uma desilusão. Desde o inicio que o livro nos faz exasperar pelo reencontro de Emi e Jason depois de tanto tempo volvido, mas quando isso finalmente acontece é um balde de água fria para o leitor. Aliás, tudo o que parte desde esse momento teve um sabor sem sal, e não posso dizer que goste das personagens já em modo adulto, embora me tenha deleitado com as suas personalidade enquanto crianças.


Mesmo assim, foi uma leitura agradável. Sinto que o livro que adorei foi “All the Roads Between”, mais do que “Swear on This Life” mas não faz mal porque foi essa fusão do passado com o presente e das mudanças que causou que me adicionaram intensidade à história. Sem dúvida que voltarei a ler Renee Carlino e deixo a recomendação que apostem em “Swear on This Life”. É um livro leve e cativante (e viciante até certo ponto) que, apesar dos defeitos que lhe ponho, me deixou com um sorriso no rosto. Perfeito para os dias frios de Outono que aí vem e pedem por uma sessão de leitura enrolada em mantas e caneca de chá na mão!

 

Swear on This Life by Renee Carlino

  GOODREADS

We can’t always control our circumstances, who our parents are, where we live, or how much money we make, but in those rare moments when we can shape our fate, when we do have the power to make our own happiness, we can’t be too scared to do it.”

― Renee Carlino, Swear on This Life

 

Tentei novamente fazer as fotografias "literárias", mas sendo um ebook não teve a mesma piada (seja a ler ou a fotografar, mantenho-me fiel aos livros em papel sempre que possa). O que acham do resultado final?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:01



Lisboeta de 20 anos a aventurar-se em Erasmus. Blogger, leitora e pseudo-escritora nos tempos livres. Entusiasta e sonhadora.


+ sobre mim

→ seguir perfil



Life Abroad



Mensagens

Design Portefolio


Facebook Page



feed