Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



The Oscars // os filmes que vi

por sacha hart, em 29.02.16

The Oscars

 

Passada a cerimónia mais icónica da indústria cinematográfica, aqui fica a minha opinião sobre os filmes nomeados e vencedores que tive oportunidade de ver. 

 

 Bridge of Spies

 

1. The Revenant // O Renascido

Venceu Melhor Realização, Melhor Fotografia e Melhor Actor

Finalmente, eis o filme que concedeu um Óscar a Leonardo DiCaprio! É um prémio totalmente merecido pois o papel de DiCaprio é fenomenal de uma forma animalesca e crua e poucos actores de Hollywood conseguiriam igualar. Esta distinção já vem tarde para aquele que é, para mim, o melhor actor do mundo.

O filme é impressionante. É uma história de sobrevivência quase impossível que nos deixa siderados com a força do Homem e a sua resistência. Nunca tinha um visto tão animalesticamente humano como The Revenant. Estrondoso, merece em dúvida os outros dois prémios que ganhou pois todo o filme é magnificamente realizado, sendo que podíamos parar em qualquer das frames e depararmos-nos com uma fotografia assombrosa. 

 

2. Bridge of Spies // Ponte de Espiões

Venceu Melhor Actor Secundário

Quando vi este filme ainda não tinam saído as nomeações para os Óscares, nem estava perto disso. No entanto, um dos meus pensamentos ao sair da sala de cinema foi exatamente "este filme devia ganhar uma estatueta dourada". E ganhou. Parabéns ao Mark Rylance que levou a estatueta para casa pelo seu desempenho de espião russo.

Bridge of Spies é, sem dúvida, o meu favorito de todos os filmes desta lista. Deve-se, em parte, por ser um filme histórico e inspirado em factos reais. Conta um caso da Guerra Fria na qual o advogado americano James Donovan fica encarregado das negociações para trocar um soldado americano em retribuição de um espião russo. É uma tarefa ingrata, arriscada e que vai pôr em causa a moral de Donovan. É um filme realmente muito, muito bom e vai além do clichê Guerra Fria a que Hollywood nos tem habituado. 

 

 Brooklyn

 

3. Spotlight // Caso Spotlight

 Venceu Melhor Filme e Melhor Argumento Original

Spotlight, uma tremenda surpresa! Apesar de rondar à volta de uma temática sensível para a Igreja Católica, não creio que este filme tenha sido feito para gerar a controvérsia. Uma equipa de jornalistas persegue a história do escândalo da pedofilia por parte dos padres de Boston, até ali encoberta pela Igreja e personalidades governamentais. Não é filme de ação em que acontecem coisas em todos os momentos, mas mantém uma curiosidade acelerante ao espectador desde o inicio até ao fim. O desempenho da equipa de jornalistas (respectivos actores) é fantástica! É curioso que o filme se passe no inicio dos anos 00' mas que ao mesmo tempo pareça tão mas antigo. Tem um ar genuíno e reflectivo. Gostei imenso de o ver e tem momentos incríveis. Só lamento que não explore ainda mais profundamente o problema da Igreja e as consequências do mesmo.

 

4. Brooklyn

Esteve nomeado em três categorias

Sabem que mais? Adorei este filme. Mas Brooklyn não é um filme que esteja ao nível dos Óscares, não entendo a sua nomeação e não fico surpreendida por não ter ganho nenhuma estatueta dourada. Não me interpretem mal, Brooklyn tem uma qualidade magnifica. Bons actores, fotografia lindíssima e um excelente guarda-roupa. Trata uma época e problema histórico ao relatar a vida de Eilis, uma jovem de pequena vila irlandesa que imigra para Brooklyn, Nova Iorque, nos anos 50. Eilis é inteligente e trabalhadora, encantadora. Apesar das dificuldades inicias em fixar-se na Big Apple, acaba por agarrar as oportunidades. Pelo meio conhece Tony Fiorelli logo quando amar não estava nos seus planos. A vida, contudo, não é só alegrias e ao ter de regressar à Irlanda, Eilis enfrenta o conflito de ficar dividida entre dois homens e dois continentes diferentes.

É um filme romântico sem tirar nem pôr. Derreteu o meu coração (o que pode bem ser culpa de Tony Fiorelli). 

 

The Danish Girl Mad Max

 

 5. The Danish Girl // A Rapariga Dinamarquesa

Venceu Melhor Actriz Secundária

The Danish Girl conquistou-me de imediato pelo trailer. Não descansei enquanto não estive na sala de cinema para o ver. Foi uma experiência fascinante pelo testemunho da luta de Lili Elbe, pioneira transgénero, e admirável pelo apoio incondicional de Gerda Wegener, a esposa do seu casamento ainda sem transformação. São duas personagens épicas, excelentemente interpretadas. A história é surpreendente e nunca vi nada igual. Uma nota crítica: gostava de ter visto mais profundidade em Lili - no onde veio, como surgiu, quem era. Tirando isso, é um filme deslumbrante!

Alicia Vikander levou o Óscar para casa. Fuck yeah! Não conhecia esta actriz mas fiquei muitíssimo impressionada pelo seu desempenho neste filme e quero ver tudo o que envolva esta sueca!

 

6.  Mad Max: Fury Road // Mad Max: Estrada da Fúria  

Venceu uma data de categorias técnicas que não vou nomear

 Lamento, mas não gostei deste filme. Vi-o por ver há muito tempo e não o apreciei por aí além. Pareceu-me mais do mesmo o tempo todo. Areia, camiões e pessoas estranhas de máscaras. Não foi feito para mim.

 

Concluindo, os Óscares destacaram filmes fantásticos e acho que foram justos nos vencedores prémios principais. Gostei da maioria dos filmes, surpreenderam quase todos pela positiva. O melhor em todos acabou por ser sempre a história, curiosamente todas elas inspiradas em factos verídicos. Trouxeram para a ribalta atores fenomenais. Foi um ano de muita qualidade! 

Para ver ainda fica O Quarto, A Queda de Wall Street, Perdido em Marte, Carol, Steve Jobs, Ex Machina e ainda O FIlho de Saul, o vencedor de Melhor Filme Estrangeiro.

 

E vocês o que acharam dos filmes nomeados e vencedores? Algum favorito? 

Também me podem falar em outfits, só que não sou expert nesses temas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:12

Me Before You // Viver depois de ti

por sacha hart, em 06.02.16

 

É uma sensação algo assustadora quando um dos teus livros preferidos se converte num filme. Me Before You é um desses casos. Ainda me lembro da review que escrevi sobre este livro. Ainda me sinto esmagada pelas emoções que despertou em mim há um ano atrás. É um desses livros, daqueles que se agarram ao teu coração e te cortam a respiração. Para quem ainda não leu, leia

Agora vem aí o filme. Já em Junho. Já sabia deste projecto quando comecei a ler o livro, até idealizei o Will como o actor escolhido. A actriz nem tanto. Ainda não vi o trailer, acho que nem vou ver. Quero guardar por tanto tempo quanto seja possível esta fantasia da história maravilhosa que li. Às vezes os filmes conseguem arruinar a beleza que encontramos nos livros. Espero do fundo do coração que este não seja mais um. Até data da sua estreia, espero ainda poder ler a continuação deste conto, After Me.

Quem mais está ansiosa por ver o filme? Ou ler o livro?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:13

No Coração do Mar // Cinema

por sacha hart, em 21.12.15

2015 // Ação, Aventura, Biografia

IMDb.

 

Sou uma daquelas pessoas que se impressiona sempre com filmes inspirados em factos verídicos. "No Coração do Mar"  é um desses filmes impressionante, com uma enredo quase impossível de acreditar. Adapta para o grande ecrã a incrível história da tragédia do navio baleeiro "Essex" que em 1820 foi abalroado por uma baleia, no Pacífico - e é esta grande aventura que vai inspirar a criação do mítico Moby Dick, de Herman Melville. 

O carácter histórico neste filme é algo que adorei. Desconhecia por completo o comércio do óleo de baleia, que antecede o petróleo. É numa viagem motivada pela ganância humana que esta tragédia se dá. A força do Homem contra a força da Natureza são o confronto permanente deste filme. Retrata a luta pela sobrevivência, a perseverança e a coragem, mas também a ganância capitalista que podemos extrapolar para os dias de hoje. São coisas deste género que me fazem colocar várias coisas em perspectiva mal saio da sala de cinema e reflicto sobre o que acabei de ver. 

Um filme assim tinha de ser sustentado por um bom elenco. Chris Hemsworth ganha o destaque, claro, e gostei muito da sua prestação. Dos restantes, sobressai também Tom Holland que tem ao seu encargo uma personagem fudamental para a história. Também gostei muito do desempenho de Benjamin WalkerNem sequer imagino a preparação que estes actores fazem para encenar algumas das cenas mais surpreendentes deste filme. 

É estrondoso. Não é um filme que vá agradar a todas as pessoas, mas aconselho vivamente. 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:33



Lisboeta de 19 anos a aventurar-se no segundo ano de faculdade. Blogger, leitora e pseudo-escritora nos tempos livres. Entusiasta e sonhadora.


+ sobre mim

→ seguir perfil





Mensagens

Design Portefolio


Facebook Page



feed