Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




somos quem somos

por sacha hart, em 11.06.14

Há certas coisas que nos definem sem realmente definirem alguma coisa. O nosso nome, quando nascemos e em que país. São elementos da elaborada equação inicial da vida que nos são impossíveis de determinar. Por essa razão não os tomo enquanto características, se não é o meu nome apenas uma palavra, uma identificação oficial? Claro que é importante, mas não tanto pois podemos dar-nos pelo nome que quisermos. Não sou eu Sacha Hart? Podia ser verídico mas não o é. Difere do nome que os meus pais me deram mas nem esse pode ser fiel àquilo que, pelo nome, eu deveria ser. Alana era como me deveria ter chamado, caso tivessem permitido. Como não deixaram, fiquei aquilo que sou hoje e adoro o meu nome, mas não quero estar cingida a ele. 

O mesmo se passa com o ano em que nasci ou o país de onde origino. Por vezes preferia ser mais nova, outras vezes preferia ter nascido há anos atrás. Se por um lado ser português fecha muitas portas na vida, quantas outras pode abrir também?  Todo este post é apenas uma divagação momentânea. Muito provavelmente sem nexo. Concluo apenas a dizer que depois de tudo isto pensado percebi que o que realmente nos define é o nosso caracter e personalidade, as pessoas por quem nos vemos rodeados, as escolhas que fazemos, os caminhos que percorremos. Nem tudo na elaborada equação que é a vida será planeado ou sequer determinado por nós mesmos, mas seremos sempre nós a escolher como decidimos viver. Tenhamos o nome que tenhamos, idade ou nacionalidade, só nos deixaremos definir por aquilo que quisermos, provando o nosso valor. 

 

tenho andado muito ausente e vou continuar ausente, quando conseguir voltar em condições prometo actualizar-me de tudo!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:43


10 comentários

Imagem de perfil

De Ynis a 11.06.2014 às 19:27

toda a gente gosta de Alana menos eu. enfim..
devias era chamar-te Inês, que é lindo e apesar de haver imensas pessoas com ele, nunca deixará de ter o seu brilho u_u.. o único nome que apanhaste de jeito foi epifanada, sem dúvida e.e
eu gostava de ser mais velha. ter assim uns vinte e três, vinte e cinco anos. assim legalmente poderia dar umas voltas com o Jared.
--
podes gozar, i don't care y.y.. eu passo a vida a gozar contigo, até com as coisas más. e eu não sou tonta. eu estava a preparar-me mentalmente em só me ir embora para o ano que vem. foi meio um choque. mas eu vou. vai que eu encontro um namorado rico e escocês todo bonitão? e depois, os Mars gostam muito de ir ao Reino Unido, me gusta..

y.y eu já sabia, antes de me vires contar isso. eheheheh
Imagem de perfil

De Ynis a 11.06.2014 às 19:53

se ela queria dar-te um nome defs, então que desse um todo estranho y.y
Inês não é batido, é bem bonito e é muito usado sim, só mostra o bom gosto das pessoas.
mas eu faço aos outros, aquilo que às vezes não gosto que me façam, por isso, foda-se u.u
se eu arranjar um gajo todo bom, que se lixe o Wi-fi y,y

eu sou bruxa, js..
Imagem de perfil

De • Smartie a 11.06.2014 às 20:00

Não podia estar mais de acordo contigo :)
Imagem de perfil

De allison a 11.06.2014 às 20:39

Muito obrigada querida :)
Imagem de perfil

De lostdreams a 11.06.2014 às 21:53

concordo totalmente contigo
Sem imagem de perfil

De ella mentry a 11.06.2014 às 22:09

Lindo texto. Eu também não gostava do meu nome, do dia, mês e ano em que nasci, nem gostava da minha nacionalidade. No entanto aprendi a gostar do meu nome, não mudava a minha data de nascimento por nada e ser portuguesa trás enromes vantagens, por termos uma língua tão rica, uma língua difícil de aprender e nós já nascemos a sabê-la, conseguirmos ter a habilidade de falar outras línguas sem as pessoas darem por sermos portugueses. Não é Portugal que já não tem nada para dar mas sim os portugueses, porque Portugal não passa de um país, não fala, não anda, não é ele que nos mete nas situações em que estamos mas sim as pessoas que vivem nele e o governam. Não é o país que nos obriga a ir embora, pobre coitado não faz nada de mal, secalhar até se sente triste por o abandonarmos e ser tão mal tratado e visto. Pelo menos é esta a minha opinião.
Imagem de perfil

De Sara a 12.06.2014 às 15:32

adorei o texto e a imagem, maravilhosos :)
o que importa é realmente o carácter, mas é sempre bom gostarmos das outras coisinhas!
Imagem de perfil

De twilight_pr a 12.06.2014 às 16:18

Alana é um nome giro :D
Gostei imenso deste post confesso. Acaba por falar de muitas coisas que eu penso.
Beijinhos*
Imagem de perfil

De Cris a 12.06.2014 às 21:16

talvez já não esteja muito longe de algo do género acontecer :)
muito obrigada
beijinhos
Imagem de perfil

De Yria Rivers a 14.06.2014 às 19:38

isso é tão verdade, não diria melhor, nós somos quem quisermos ser, não é o nosso nome ou idade que nos define, se bem que quanto à nacionalidade já acho um bocado difícil, em alguns países é possível ser aquilo que queremos e definir-nos a nós próprios, noutros em que se vive a mil ou por causa de guerras ou por causa da pobreza, doenças, etc, já são mais os momentos
beijinhos!

Comentar post




Lisboeta de 19 anos a aventurar-se em Erasmus. Blogger, leitora e pseudo-escritora nos tempos livres. Entusiasta e sonhadora.


+ sobre mim

→ seguir perfil



Life Abroad



Mensagens

Design Portefolio


Facebook Page



feed