Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Uma noite em Lisboa // o que fazer?

por sacha hart, em 10.10.17

Noite em Lisboa

 O que fariam se tivessem apenas uma noite para conhecer Lisboa? 

 

O Jorge, o meu colega de casa mexicano, nunca teve a oportunidade de conhecer o nosso belo país, mas está prestes a ter oportunidade de passar umas horas em solo português durante a escala de um voo. Infelizmente, todas essas horas serão noturnas, mas mesmo assim consegui convencê-lo a sair do aeroporto e ir descobrir Lisboa menina e moça tanto quanto possa!

Surgiu assim a ideia de lhe esboçar um guia noturno com sugestões do que fazer e ver em Lisboa durante a noite. A lista poderia ser maior e para isso pedia a vossa colaboração: se tiverem alguma sugestão let me know! O Jorge agradece e eu também! 

 

1. Deambular pelo centro histórico

Lisboa conhece-se a pé e esta será a zona que eu recomendarei ao Jorge. Abrange uma área consideravelmente grande, mas que se faz muito bem a pé. O movimento de pessoas e animação não diminui durante a noite e a beleza dos prédios antigos da nossa Baixa só lhe conferem mais vida ainda! Depois de conferir a Avenida da Liberdade, Restauradores e Rossio, Chiado e Terreiro do Paço, a terminar no Cais do Sodré. 

 

2. Observar Lisboa desde as alturas de um miradouro

Quem poderá ficar imune à beleza da cidade vista de uma das suas colinas?  A vista apaixonará qualquer pessoa!  Sugerirei alguns dos meus favoritos: o da Nossa Senhora do Monte, o da Graça, as Portas do Sol, o de Santa Catarina (Adamastor, como eu prefiro chamar) e o de São Pedro de Alcântara. 

 

3. Em alternativa, beber uma cerveja num rooftop bar

São famosos pela cidade pela mesma razão que os miradouros. Conhecendo o Jorge, sei que estará mortinho para experimentar as cervejas pretas portugueses, sobretudo a SuperBock. Recomendar-lhe-ei o Park mas poderão encontrar outras sugestões nesta lista.

 

4. Provar uma refeição tipicamente portuguesa

Diria que este ponto é um dos mais necessários da lista. Dar a provar comida portuguesa é remédio certo para garantir que os turistas queiram voltar a Portugal! Sugerirei um dos meus restaurantes favoritos no Bairro Alto, não só pela comida genuinamente portuguesa como também pelo ambiente tradicional - o Príncipe do Calhariz. Como alternativa para algo mais moderno e apelativo para instagrammers, o Mercado da Ribeira é outra escolha a apontar.

Castanhas assadas e a ginjinha têm também de ser incluídas na lista de coisas a provar!

 

5. Deleitar-se com um pastel de nata acabadinho de sair do forno

Sim, acabei de falar de comida no ponto anterior mas este merece um destaque especial. Estas delicias derretem o coração de qualquer um que as prove (só de pensar nisto dá-me imensa vontade de voltar a Lisboa e correr até ao meu sítio preferido: a Manteigaria).

 

6. Descobrir a animação da vida noturna 

Não creio que seja uma prioridade entrar numa discoteca quando se tem apenas umas horas em Lisboa, mas certamente recomendarei que dê um saltinho aos bares da Pink Street ou do Bairro Alto!

 

Acham que a lista cobre o essencial?
Têm mais alguma sugestão?

a imagem original não me pertence

encontrada no Google sem rerefência

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 18:11

Cinema // estreias a não perder

Breathe

"Stronger"

"Wonder"

Thank You for Your Service

"The Big Sick"

01. Breathe

IMDb // "Vive" // 9 de Novembro

Não estou a tentar fazer trocadilhos, mas este filme parece mesmo de tirar a respiração de tão bonito e inspirador que é. Já é um dos filmes mais aguardados do ano e é, sem dúvida, o filme que mais quero ver! Além do mais, tem o Andrew Garfield a interpretar Robin Cavendish e transmitir, de uma maneira especial que só ele sabe fazer, a história tocante da vida deste senhor. 

 

02. Stronger

IMDb// "Stronger - A Força do Amor" // 12 de Outubro

Jake Gyllenhaal é bem capaz de ser um dos meus atores favoritas e nesta longa-metragem interpreta Jeff Bauman, um dos sobreviventes do atentado à Maratona de Boston de 2013. É uma história de força que aborda uma temática que me interessa particularmente. A não perder! 

 

03. Wonder

IMDb // "Encantador" // 7 de Dezembro

Inspirado no livro de R.J Palacio, este é mais um filme já declarado como tremendamente inspirador. Conta a história de um rapazinho chamado Auggie Pullman que nasceu com uma deformidade facial que o faz andar de capacete no dia à dia. Gostaria muito de ler o livro antes já que dizem que é uma história muito especial. Esperemos que o filme lhe faça jus! 

 

04. Thank Your for Your Service 

IMDb // 27 de Outubro nos EUA // Sem data de estreia em Portugal

Além de ter um soft spot pelo Miles Teller, fiquei curiosa com a abordagem que este filme parece trazer às marcas infligidas aos soldados que lutam pela sua pátria (ou assim pensam eles, mas essa é outra história). Este filme vem partilhar histórias de três soldados americanos que regressaram do Iraque e se debatem com a reintegração à vida normal enquanto lidam com stress pós-traumático. Sim, há muitos filmes com o mesmo tema, mas não me importo de ver mais um!

 

05. The Big Sick

IMDb // "Amor de Improviso"// 26 de Outubro 

Ouvi falar pela primeira vez desta comédia romântica numa entrevista a Kumail Nanjiani. O ator interpreta-se a si próprio e isso é algo que eu nunca vi antes. Como se não bastasse ser uma história verídica da sua vida, é a história de amor sobre como a sua namorada caiu num coma induzido e Nanjiani se manteve a seu lado. Já há quem fale em Óscares nas mãos de Nanjiani..

 

Haverá mais alguém interessado nestas estreias ou noutras diferentes? Let me know!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:27

Swear on This Life by Renee Carlino

Foi durante a minha roadtrip pela Eslovénia que decidi pegar em "Swear on This Life" da autora americana Renee Carlino já que tinha cinco horas de viagem para queimar. Não sabia absolutamente nada da sinopse ou outros livros da autora até então, por isso estava completamente às escuras ao começar a leitura, confiando apenas no facto de ter sido recomendado. Prefiro assim.


O livro começa com Emiline, uma escritora frustrada por nunca ter conseguido criar algo digno de ser publicado e cujos demónios ignorados do passado a impedem de descobrir o seu máximo potencial. Por outras palavras, Emi está num impasse, entregue ao trabalho e a uma relação de longa duração que não a satisfazem. Mas tudo muda quando “All the Roads Between”, um aclamado bestseller de J. Colby, lhe chega às mãos – porque o livro é a história da sua vida, uma narrativa do passado que ela tanto bloqueia das suas memórias.


“Swear on This Life” desenrola-se a partir desta premissa. Eu descrevê-lo-ia como um livro com um livro dentro já que o essencial da história se baseia nos capítulos de “All the Roads Between”. São um flashback permanente do passado de Emiline e estão presentes ao longo de todo o livro. Por norma não gosto deste tipo de leitura, mas neste caso foi uma benção. O que me fez ansiar por cada novo capitulo foi descobrir o que se passara de tão trágico na vida dela e do seu amigo de infância, Jax, e ao mesmo tempo as emoções que a leitura despertavam em Emiline por ter a sua vida exposta num bestseller de Jason que desparecera da sua vida há 12 anos.


Parece um confusão, mas prendeu-me à leitura. O mais importante para mim enquanto leitora é sentir-me presa à narrativa, ansiar por cada nova página e não querer pousar o livro, em circunstancia alguma.


Gostei bastante do que li, mas tenho mixed feelings em relação a “Swear on This Life” porque se por um lado me proporcionou esta sensação entusiasmante, por outro falhou completamente no potencial que prometia no inicio da história. Com isto quero dizer que adorei os flashbacks mas a ação do presente foi uma desilusão. Desde o inicio que o livro nos faz exasperar pelo reencontro de Emi e Jason depois de tanto tempo volvido, mas quando isso finalmente acontece é um balde de água fria para o leitor. Aliás, tudo o que parte desde esse momento teve um sabor sem sal, e não posso dizer que goste das personagens já em modo adulto, embora me tenha deleitado com as suas personalidade enquanto crianças.


Mesmo assim, foi uma leitura agradável. Sinto que o livro que adorei foi “All the Roads Between”, mais do que “Swear on This Life” mas não faz mal porque foi essa fusão do passado com o presente e das mudanças que causou que me adicionaram intensidade à história. Sem dúvida que voltarei a ler Renee Carlino e deixo a recomendação que apostem em “Swear on This Life”. É um livro leve e cativante (e viciante até certo ponto) que, apesar dos defeitos que lhe ponho, me deixou com um sorriso no rosto. Perfeito para os dias frios de Outono que aí vem e pedem por uma sessão de leitura enrolada em mantas e caneca de chá na mão!

 

Swear on This Life by Renee Carlino

  GOODREADS

We can’t always control our circumstances, who our parents are, where we live, or how much money we make, but in those rare moments when we can shape our fate, when we do have the power to make our own happiness, we can’t be too scared to do it.”

― Renee Carlino, Swear on This Life

 

Tentei novamente fazer as fotografias "literárias", mas sendo um ebook não teve a mesma piada (seja a ler ou a fotografar, mantenho-me fiel aos livros em papel sempre que possa). O que acham do resultado final?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:01



Lisboeta de 19 anos a aventurar-se em Erasmus. Blogger, leitora e pseudo-escritora nos tempos livres. Entusiasta e sonhadora.


+ sobre mim

→ seguir perfil



Life Abroad



Mensagens

Design Portefolio


Facebook Page



feed